O risco jabuticaba


A jabuticaba, como se sabe, só existe aqui no Brasil. Frutinha doce, preta e muito gostosa, mas totalmente desconhecida dos gringos.

Risco é uma característica inerente a qualquer negócio, independente de seu tamanho. Para grandes riscos grandes retornos, qualquer estudante de economia saberá dizer. No Brasil, nem sempre é assim. Pergunte a um pequeno empresário ou a um empreendedor e ele passará horas se lamentando de quanto gasta com a folha, com os impostos e que no final não sobra nada... Este é o nosso risco jabuticaba, pequenas empresas com riscos altíssimos e possibilidades de retornos baixíssimas.

Em qualquer lugar do mundo, pequenos negócios, startups, empreendimentos individuais são arriscados por natureza. Porém, os governos incentivam e fomentam o empreendedorismo, através de financiamentos de longo prazo com baixo custo, política fiscal específica, desburocratização, acesso à qualificação técnica e empresarial, entre diversas ações focadas. Com isso o sucesso ou fracasso das pequenas empresas ficam restritos à sua operação e sua gestão, e elas têm papel econômico fundamental.

Já no Brasil, apesar de alguns avanços, ter uma pequena empresa é um desafio de sobrevivência, coisa para malucos sem juízo mesmo. Empréstimos e financiamentos através de bancos públicos ou instituições de fomento, como o BNDES, dependem de garantias e avais quase impossíveis de conseguir e mesmo assim as taxas nem são tão atrativas. Os tributos, além de terem alíquotas abusivas, são de difícil entendimento e grande burocracia. Empregados são cada vez mais caros, assim como, a administração de pessoal. Com isso a taxa de mortalidade dessas empresas é altíssima quando comparada a países desenvolvidos. E mesmo quando não morrem ao nascer, vão morrendo aos poucos ao longo dos anos devido às margens minguadas.

Investir é assumir riscos, tornando-se assim uma questão de múltipla escolha, a ser decidida pela equação risco x retorno. As perguntas então a serem feitas são: Por que investir recursos em um empreendimento com péssimo histórico de sobrevivência e baixo retorno? Qual o sentido de empreender no Brasil?

Logo, quando amigos me perguntam se devem abrir uma empresa e ter seu próprio negócio, eu respondo que sim. Mas na Nova Zelândia, na Austrália ou no Canadá. Ou então que vá plantar uma jabuticabeira.

-

Marcelo Brandão, empresário e sócio minoritário do Governo, não acredita mais no Brasil mas escreve com esperança de mudar alguma coisa, fundador e blogueiro Contextual.

#MarceloBrandão

* Este é um espaço de diálogos e discussões e não serão aceitos comentários desrespeitosos e ofensivos, em qualquer aspecto.*