Um sonho por favor?


São seis da manhã, acordo para trabalhar. Os problemas me vêm à mente, um a um. Dificuldades demais a frente, não consigo priorizar. Não sei para onde vou, estou sem rumo.

Minha cabeça não está sã, preciso sarar. O coração também sente, dói, sofre, isto está tão comum. Tanta gente que mente, não consigo confiar. Não sei para onde vou, perdi o prumo.

De tão confuso não sei se estou agindo corretamente. Às vezes eu quero brigar, outras vezes sei que preciso trabalhar. Muitas vezes só sei reclamar, outras só quero chorar.

Vejo tudo tão obtuso que não sei se haverá algo a minha frente. O horizonte, preciso enxergar. Tenho que ter um norte para buscar. Não dá para ficar assim, sem sonhar.

Por favor, me deem apenas um sonho. Me deem a chance de vislumbrar como vai ser. Hoje só há escuridão, pessimismo e maldade. Tenho que acabar com este sentimento, mas, por favor, sem falsidade.

Olho para o campo e vejo como sou bom para plantar, colher e alimentar. Mas sou fraco em transportar e entregar. Olho para a natureza e vejo como posso ser o melhor no turismo ecológico. Mas sou péssimo em me organizar. Olho para as festas que faço e vejo como sei fazer grandes eventos. Mas sou muito ruim em vender e me valorizar. Olho para minhas companhias e lembro de mamãe “me diga com quem andas e direi quem és” e vejo que não tenho clareza destas escolhas, preciso repensar.

Por que não posso sonhar em ser a referência naquilo que sei que sou bom? Por que não posso sonhar que as dificuldades que tenho sou eu quem vou vencer? Por que preciso passar por tudo isto aceitando o tom? Por que preciso assim viver? Por que?

Um sonho por favor! Só preciso de um norte. Minha mente e meu coração não estão bem eu sei, tenho que estar mais forte. Mas, se me derem um sonho vou buscar o caminho certo, vou ser mais esperto e vou lutar a mil. Porque assim não posso continuar. Meu nome? Brasil...

-

Eduardo Souza, administrador, DJ, curioso, poeta, inconformado e blogueiro Contextual.

#EduardoSouza