Cale a boca!


Este texto é para você que acha que pode discutir sobre todo e qualquer assunto, sem nunca ter lido nada sobre aquilo. Para você que se acha economista, mas não tem ideia de quem foram Adam Smith ou Keynes. Ou acha que pode discutir direito tal qual um jurista só porque assistiu às sessões do julgamento do mensalão. Alguém disse um dia que éramos um país de milhões de técnicos de futebol e agora parece que somos uma nação com milhões de administradores de empresas, advogados, engenheiros, médicos e psicólogos até.

Para! Vá ler, estudar, se informar! Faça uma faculdade, uma ou duas pós-graduações. Quem sabe um dia você poderá opinar publicamente sobre ajuste fiscal, direito previdenciário, cirurgia coronariana, análise financeira, Freud, mercado de ações, cálculo estrutural, legislação trabalhista?

Em uma entrevista recente, Umberto Eco afirmou que a internet deu voz a milhares de imbecis. Concordo, mas, complementaria que além de voz, a internet lhes deu a sensação de ter conhecimento e autossuficiência em qualquer tema.

Recentemente, durante a crise da economia grega, apareceram não se sabe de onde e nem o porquê, “mestres” e “doutores” de teoria econômica loucos para demonstrar sua total falta de conhecimento mesmo em aspectos básicos do tema. Por que tanta gente é tão orgulhosa de sua ignorância a ponto de demonstrá-la em público?

José Saramago já escreveu que o excesso de informação pode fazer do cidadão um ser muito mais ignorante. Ele argumenta que as possibilidades tecnológicas para desenvolver a massificação da informação têm crescido muito, mas, no entanto, o cidadão não dispõe dos elementos e da formação adequados para saber escolher e selecionar, o que o leva a andar perdido nessa selva. Conclui, então, que é precisamente nesse desnível onde se dá a instrumentalização em prejuízo do indivíduo e, portanto, a desinformação.

Quando o avião do presidenciável Eduardo Campos caiu em Santos no ano passado, de repente surgiram nas redes sociais diversos “engenheiros aeronáuticos” dando palpites e esclarecimentos sobre detalhes técnicos de aviação. Era hilário e ridículo ao mesmo tempo ler os comentários dos leitores nos sites de noticias. Pessoas que sequer sabem diferenciar uma hélice de uma turbina discutindo entre si sobre as possíveis causas do acidente.

Sócrates disse que sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância. Portanto, caro leitor, caso não tenha capacidade de enveredar em uma discussão por falta de conhecimento, admita sua ignorância, nos poupe de argumentos sem lógica, cale-se e vá discutir o resultado do jogo de domingo!

-

Marcelo Brandão, empresário e sócio minoritário do Governo, não acredita mais no Brasil mas escreve com esperança de mudar alguma coisa, fundador e blogueiro Contextual.

#MarceloBrandão