Com a palavra os carecas

Aeroporto de mosquito, pouca telha, Kinder Ovo, testão... Quem é desprovido de pelos capilares, com certeza, já deve ter ouvido alguma dessas expressões.

Este não é o desabafo de um careca revoltado pelos bulings da adolescência, mas um convite à reflexão.

Vivemos em uma ditadura capilar! Longos, curtos, loiros, negros, azuis, furta-cores, picotados, alisados, adotados, costurados, implantados...

É verdade que é possível saber muito sobre a personalidade de alguém só de olhar para o seu cabelo. É possível, inclusive, que os praticantes da quiromancia comecem a se especializar na capilomancia! Mas o que realmente podemos afirmar é que ninguém mais tem o cabelo com o qual nasceu. São tantos lançamentos e tecnologias para fazer o imaginável e o inimaginável com esses fios de queratina, que não é possível enumerá-los em um texto ou mesmo em um compêndio.

Não se pode mais nem fazer piadas sobre loiras! A final hoje todas são loiras. Até as com cabelos mais escuros do que a noite, inventam de dar luzes aos mesmos. O que aconteceu com aquelas lindas cabeleiras brancas, que refletiam toda a sabedoria e amadurecimento? Hoje, enquanto os mais velhos pintam suas madeixas brancas com o castanho claro número 36 da Wella, quem pinta os cabelos de branco são os adolescentes inspirados pelos seus heróis dos desenhos animados (que aliás são muito mais maduros do que eles).

Vocês já pararam para imaginar o impacto ecológico disso tudo: xampu, formol, benzol e todos os “ols” que ajudam a degradar o meio ambiente?

Mas não há nada mais revoltante para um pobre careca do que aquelas centenas de milhares de fios perdidos que se acumulam no chão e nos ralos de banheiros por todo o mundo. Se você tem cabelos, faça o favor de mantê-los em suas cabeças!!! Os “donos de casa” me entenderão muito bem (sempre agradeço a Deus nas minhas orações pela invenção do aspirador de pó).

Não, gente… Não quero a minha esposa careca. Quem tem as suas madeixas, que faça com elas o que bem quiser. Só espero que nunca se esqueçam: mais importante do que existe por fora é o que existe dentro da cabeça.

Tenho dito.

-

Fabio Costa - Médico de profissão, apaixonado pela fotografia e amante de viagens pelo mundo e pelo pensamento. Agora um humilde contribuinte blogueiro contextual.

#FabioCosta

* Este é um espaço de diálogos e discussões e não serão aceitos comentários desrespeitosos e ofensivos, em qualquer aspecto.*