Doce de vovó


Nenhuma falta me faz um doce nessa vida. Nenhuma! Mas que falta me faz uma vó e o seu doce de leite de bolinha. Há muito tempo não me lambusava de tanta saudade. Saudade até do cravo, que eu detesto, mas o que ela colocava não podia faltar. O doce de bolinha de Vovó era servido em qualquer vasilha, de margarina até uma tigela de vidro avermelhada de feijão, com uma calda suculenta que dava pra tomar com uma só colherada. E o sabor? O sabor estava no seu sorriso diário que levava ele até a mesa de almoço da fazenda. O sabor estava em ouvir dos netos: "tem doce de bolinha hoje?". O sabor estava em seus passos pela cozinha vestidos com sua roupa rosada característica, que parecia ser desenhada nela. Na verdade o sabor nunca esteve no doce, mas só agora pude perceber o quão saborosa foi a sua presença. Saudade da Vó que não está mais entre nós, lembranças de um doce que ficou entre nós. Obrigado Vovó.

-

Marcel Freire é casado com a música, amante da publicidade, apaixonado pelo surf , blogueiro Contextual e tem um cachorro.

#MarcelFreire

* Este é um espaço de diálogos e discussões e não serão aceitos comentários desrespeitosos e ofensivos, em qualquer aspecto.*