O "Super Start" da Música.

Apesar de gostar e de fazer muita coisa ao mesmo tempo, tenho certeza que não nasci pra seguir tendência. Muito menos pra me tornar alguma. Algumas observações em minha vida me certificam disso. Meu 1º colar, usei quando tinha 6 anos. Hoje devo ter uns 30 em casa. Minha primeira pulseira, usei um pouco depois do meu 1º colar. Hoje devo ter mais pulseiras, do que os 6 anos de vida somados da época do meu 1º colar. Minha primeira onda surfada, eu já tinha colar e pulseira. Minha primeira volta de bicicleta, foi bem mais equilibrado do que a minha 1ª onda. Minha primeira faculdade, eu só soube que era faculdade depois que formei. Minha segunda faculdade, está sendo movida por uma paixão tardia. Já a primeira nota musical tocada em mim, eu não tinha nem colar, nem pulseira, nem surfado qualquer onda na vida. Quem dirás, saber o que era tendência. As tendências não tiveram nenhuma parcela em meu gosto e em minhas escolhas. A cada passo que dou para o "presente/passado", prefiro chamar assim, porque definitivamente não acredito em futuro, é uma experiência, um aprendizado. Isso me faz ter certeza das coisas que realmente valem a pena acreditar e das coisas que valem somente a pena fazer. Música é assim: ou é de verdade, ou não passará de uma tendência qualquer.

-

Marcel Freire é casado com a música, amante da publicidade, apaixonado pelo surf e blogueiro Contextual e tem um cachorro.

#MarcelFreire