Aguda

É assim que acontece: quando a paixão começa, tudo é lindo. Aquele quase formigamento por dentro, que faz você suspirar sonhos a todo momento. Aquela sensibilidade exacerbada, que faz você perceber que todo o resto não significa mais nada. A flor da pele se abrindo. O riso fugindo da garganta pela boca. A alegria invadindo sem paz a mente oca.

Aquilo é tão bom, que você deixa a paixão crescer. E ela vai encorpando. Tomando conta de cada centímetro quadrado de veias. De cada milímetro cúbico de sangue. De cada quarteirão de hipoderme. E se derrama pela derme até atingir a epiderme provocando erupção na pele, tsunami em pelos, terremoto nos ossos, tremedeira nas pernas, maremoto nos olhos. A paixão faz todas as conexões físicas atingirem o quântico. Faz todas as ligações químicas imitarem um cântico. E começa a ensaiar uma sinfonia de bombos, timbales, pratos e contrabaixos em ritmo marcado, cadenciado, acelerado. Até tudo explodir em um final inesperado.

Neste momento, você tem duas saídas. Ou extravasa, liga a caixa de som, volume mais alto, reverbera, bota pra fora, se declara em poemas, poesias, versos, prosas, gritos, cartas e gestos; ou se controla. Guarda, abafa, segura, amarra, acorrenta, represa, sustenta e se contenta com lembranças esporádicas, esperanças furtivas, migalhas escassas, esmolas esparsas, caridade sem graça.

E se a sua saída é a segunda alternativa, prepare-se. Porque dói. Implosão de paixão dói. Muito.

É o meu caso. Tá doendo.

Mas vale a pena. Por tudo de incrível que já proporcionou. É como sentir o corpo pelo avesso, o crânio trincar por dentro, as entranhas em estranhas combustões cheias de verve, o coração trocando de pele.

Dói pra caralho! Mas quando você vem de um momento em que chegou a achar que já não mais sentiria tudo isso de novo... tudo isso fica bom. Dor passa. Experiência fica.

E essa é, de longe, a dor mais gostosa que eu já senti na minha vida!

--

Mário Garcia Jr. é blogueiro Contextual, publicitário, metido a cozinheiro, joga bola de teimoso, mas gosta mesmo é de escrever.

#MárioGarciaJr