Texturina


Antes de escrever, eu bebo. Mesmo. De verdade. Sempre. E bebo muito. Até ficar alto, tonto, inseguro, seguro, pobre, rico, frouxo, corajoso, em surto. Bebo de outros autores. Textos em livros, blogs, sites. De notícias, fofocas, arte. Experiências vividas, inventadas, construídas. Devaneios de pessoas simples, estranhas, analfabetas ou instruídas. Viro em goladas longas as minhas lembranças, minhas ideias, meus desejos. Minhas andanças, minhas misérias, meus receios. Beberico das histórias que contam meus amigos. E se são de verdade ou de mentira, não ligo. As que não são muito legais, eu vomito. Das boas, eu trago até o último suspiro. Espremo até a última gota de sumo. E sem medo do ridículo, engulo tudo até o último capítulo.

E só depois de beber tanto é que sento atento e sinto. Tudo o que bebi e que começa a querer sair. Alimento o instinto. Aprecio o aroma e o sabor como um vinho tinto. E destilo meu estilo enquanto redijo.

O que escrevo, senhoras e senhores, é mijo.

----

Mário Garcia Jr. é blogueiro contextual, publicitário, metido a cozinheiro, joga bola de teimoso, mas gosta mesmo é de escrever.

#MárioGarciaJr