Olho para você


Olho mesmo, sempre. Sempre que pude, olhei.

Olhar; sentido; direção; percepção; paixão.

Depois do olfato, a visão é o segundo sentido que me faz perder a linha, e isso me deixa completamente cego.

Ver; observar; notar; corredor; ela; cabelo; cor; andar; óculos de grau. Tesão. Adoro óculos de grau: gosto; sinto; vejo; lente.

Enxergo os olhos como uma lente do pensamento, que mesmo fechados, podem ver o que quiser, a qualquer momento, passando por cima da mais severa miopia.

Olhar é como sentir cheiro de canela com baunilha: estonteante; excitante; doce; como, como muito.

Olhar é fechar os olhos e mesmo assim conseguir ver o seu sorriso: infantil; apaixonante; quero; mordo, mordo muito.

Olhar é ver o tempo passar e você nem perceber que está vendo: manhã; corredor; escada; tempo, muito tempo.

Feliz aquele que consegue ver sem precisar abrir os olhos: lembranças; mensagens; pensamentos.

O olhar é a imaginação traduzida, e o olho, o seu tradutor:

inglês; língua; gostosa; mordo - I bite. Way more.

Olhares correspondidos, mesmo que duvidosos, são tão bons, que perecem conversar sem nem precisar de assunto, apenas se olham, se divertem, se imaginam, se querem, se pegam, se comem, mesmo de longe e sem piscar.

Olhar distante; ar, aquário; 27; Janeiro; viagem; liberdade; prazer; orgasmo; sono.

Dizem que pessoas que nascem entre os dias 21 e 30 de janeiro têm boa conexão. Sendo assim, não me responsabilizo quando o zodíaco resolve passar bem na minha frente.

Olho mesmo!

-----

Marcel Freire é casado com a música, amante da publicidade, apaixonado pelo surf, blogueiro Contextual e tem um cachorro..

#MarcelFreire