Me Deixe Cuidar da Minha Horta

Palavras aos pais de Charlie Gard (*)

Foto bbc.com.uk

Hoje vão levar um pedaço de mim

A dor aqui parece não tem fim

Meu coração grita catártico

Mudo, seco, ao mundo que não me ouve

A arrogância vem togada, brinca de Deus

E me impede de persistir na luta

Estou devastado, impotente, violado

Gritando a quem não me escuta

No meu colo, meu filho implora por cuidados

Um serzinho que não consegue nem se expressar

Eu o compreendo pela respiração

O seu olhar clama minha proteção

Sentenciado como vegetativo

Tido como inútil, apesar de vivo

Mas se para você a vida de um vegetal não importa

Por favor, eu imploro, me deixe voltar para casa e cuidar da minha horta...

(*) Charlie Gard foi um bebê britânico afetado por uma rara doença genética, cujo caso foi alvo de uma batalha legal e despertou controvérsia mundial.

Os pais lutaram judicialmente por cinco meses para conseguir uma autorização para tirar seu filho do hospital onde estava internado, no Reino Unido, e levá-lo aos Estados Unidos, a fim de submetê-lo a um tratamento experimental.

A família perdeu as ações judiciais e foi determinada a cessação dos cuidados especiais pelos juízes e médicos responsáveis pelo caso.

O pequeno Charlie, então, faleceu nesta sexta-feira, 28/7/2017, há uma semana de completar seu primeiro aninho de vida. E com ele, morreram um pai e uma mãe, devastados pela arrogância de médicos e juízes que gostam de brincar de Deus.

-----

Rômulo Gabriel Lunelli. Canhoto, casado com o direito, amante da música e dando uns pegas na literatura. Cantor, compositor, instrumentista e fundador do projeto MWSA (Music, Wine and Some Attention). Pai apaixonado e procurador federal. Blogueiro Contextual.

#RômuloGabrielLunelli

* Este é um espaço de diálogos e discussões e não serão aceitos comentários desrespeitosos e ofensivos, em qualquer aspecto.*